Acessar o site em Inglês Acessar o site em Português
  • ANPO

  • TV ANPO

  • CTR/ANPO
  • IG DO GRANITO
  • BIBLIOTECA

  • EMPRESAS


Exportação capixaba de rochas ornamentais cai em março de 2007

Publicado em 11/08/2011

Pela primeira vez em mais de um ano, o Espírito Santo acumulou queda nas suas exportações de rochas em março. A desvalorização do dólar foi um dos motivos apontados para a redução.

Pela primeira vez, em mais de um ano, as exportações de rochas ornamentais capixaba registraram queda. Em março, segundo dados levantados pelo Centro das Indústrias Exportadoras de Rochas Ornamentais (Centrorochas), as exportações caíram de US$ 62,7 milhões para US$ 61,6, uma redução de 1,75%. O Espírito Santo vendeu 126 mil toneladas de rochas para o exterior em março deste ano contra 136 mil toneladas no mesmo período de 2006 (queda de 7,4%).

Para a superintendente do Centrorochas, Olívia Tirello, um dos principais motivos da redução foi a desvalorização da moeda americana. “Já esperávamos essa queda. O dólar teve uma das suas cotações mais baixas em março. Os empresáriosestão preocupados, sem saber quando este cenário sofrerá alterações e acabam deixando de fechar alguns contratos”, salientou. De acordo com Olívia, além da questão monetária,problemas de embarque no TVV, com falta de contêineres vazios, também contribuíram para o resultado negativo.

Outro fator, revela, foi que muitos compradores americanos, destino de mais de 60% de nossas rochas, preferiram fechar seus negócios durante a Coverings, feira internacionalrealizada em Chicago, de 17 a 20 deste mês.

“Esse é o momento do Governo Brasileiro avaliar melhor a queda do dólar e suas conseqüências para alguns segmentos da economia. Nós já enviamos uma carta ao Ministério da Fazenda, relatando os problemas que o setor vem enfrentando com essa situação. A intenção é que sejamos incluídos caso o governo federal decida oferecer incentivos fiscais a alguns setores mais prejudicados pela queda do dólar”, finalizou.

Apesar da redução, o Estado continuou com posição de destaque no ranking nacional: representou mais de 65% dos US$ 94 milhões do faturamento nacional e mais de 54% das 230 mil toneladas exportadas pelo país.

Trimestre registrou alta

Apesar da queda nas exportações em março, os resultados de exportações capixabas no primeiro trimestre deste ano foram positivos, com aumento de 10% nas vendas de rochas ao mercado externo. De janeiro a março de 2007 foram exportadas mais de 314 mil toneladas de rochas, o que rendeu faturamento de US$ 152 milhões em negócios. A maior parte dos rendimentos - US$ 129 milhões – é resultado da venda de produtos manufaturados (chapas e produtos acabados).

O Espírito Santo manteve o posto de maior exportador do Brasil, sendo responsável por cerca de 65%, em dólares, e 56%, em toneladas, do que foi exportado por todo o país. A porcentagem sobe ainda mais quando se trata se produtos manufaturados e chega a 84%, de faturamento, e 85%, em peso.
Exportação capixaba de rochas ornamentais cai em março de 2007

Compartilhe:

 

 

Visitas: 351



Entre em contato

Site seguro

https://anpo.com.br/ https://anpo.com.br/